Portal de Eventos, Conferencia Internacional BIREDIAL-ISTEC 2015

Tamaño de la fuente: 
A via verde no Brasil: um estudo exploratório de repositórios institucionais
Josimara Dias Brumatti Josi, Simone da Rocha Weitzel Si

Última modificación: 17/11/2015

Resumen


A via verde no Brasil: um estudo exploratório de repositórios institucionais

Introdução: O Acesso Aberto – AA é uma filosofia que propõe disponibilizar todo e qualquer material de cunho científico, especialmente oriundo de pesquisas, produzido em instituições de ensino superior e de pesquisa. Os principais objetivos da iniciativa AA podem ser resumidos em duas estratégias definidas pela Budapest Open Access Initiative – BOAI (2002): Periódicos de acesso aberto e Auto-arquivamento, denominadas por Harnad (2004) de via dourada e verde, respectivamente. A via dourada visa permitir o acesso aos resultados das pesquisas produzidas pelas Universidades e institutos de pesquisa por meio de Revistas de Acesso Aberto, livre de taxas para publicação ou taxas para acesso. Já a via verde é baseada no depósito pelo autor da produção científica que foi publicada em revistas que não são de acesso aberto em repositórios institucionais. Partindo do pressuposto que os Repositórios Institucionais - RI brasileiros possuem características específicas em função de questões que envolvem a produção científica brasileira, esta pesquisa tem por objetivo verificar quais são essas características por meio de estudo exploratório e descritivo a partir dos estudos de caso dos repositórios institucionais: LUME da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e da Universidade de Brasília – UNB para as áreas de Física e Psicologia.

Metodologia: Foi analisada a produção intelectual dos cursos de pós-graduação nas áreas de Física e Psicologia da UFRGS e UNB, inseridas na Plataforma Sucupira (ferramenta disponibilizada pela CAPES para coleta de informações do Sistema Nacional de Pós-Graduação – SNPG) comparando-as com os artigos depositados nos RIs de modo a observar o cumprimento da estratégia via verde (Harnad, 2004). O critério de escolha dos RIs foi a sua liderança no Ranking Web of Repositories no Brasil. A escolha das áreas está baseada no artigo do Ortellado (2008) que aponta uma distinção na aceitação do AA na área de Ciências Naturais e nas demais áreas tais como as Ciências Sociais e Humanas. Foram utilizados os dados da produção científica dos cursos da pós-graduação de Física e a Psicologia do ano de 2013 das respectivas universidades. O tipo de material analisado foi somente os artigos de periódicos os quais foram categorizados em: 1- indisponíveis no RI e acesso através de pagamento (indisponível); 2- bloqueados nos sites das revistas e acessíveis através do RI (via verde); 3- acessíveis nos sites das revistas e/ou em base de dados como SciELO e Pepsi (via dourada).

Resultados: Os dados se baseiam em 66 artigos de periódicos publicados pelo curso de física e 133 artigos publicados pelo de psicologia na UFGRS e 59 e 35 respectivamente na UNB, num total de 293 artigos analisados. Na UFRGS, na área da Física apresentou os seguintes dados: 23 artigos estão indisponíveis no RI e possui o acesso bloqueado no site da revista, tendo que pagar pela publicação; 18 estão bloqueados nos sites das revistas e acessíveis através do RI (via verde); e 25 estão acessíveis nos sites das revistas ou em base de dados como SciELO e Pepsi (via dourada). Ainda na UFRGS, na Psicologia os dados são os seguintes: 17 artigos estão indisponíveis no RI e possui o acesso bloqueado no site da revista; 3 estão bloqueados nos sites das revistas e acessíveis através do RI (via verde); e 113 estão acessíveis nos sites das revistas (via dourada) e outros. Na UNB, a Física e a Psicologia possuem respectivamente, 10 e 0 artigos acessíveis através da via verde; 13 e 33 artigos acessíveis na via dourada e 36 e 2, artigos estão indisponíveis para acesso. O gráfico 1 a seguir apresenta um panorama dos dados coletados por tipo de estratégia AA e o gráfico 2 apresenta os mesmos dados por área.

 

Gráfico 1- Artigos de periódicos por tipo de acesso

 

Fonte: Os autores (2015).

 

Gráfico 2 – Tipos de acesso por área do conhecimento

Fonte: Os autores (2015).

Conclusão: A pesquisa mostrou que a maioria dos artigos de periódicos presentes nos RIs estudados no período delimitado são via dourada, totalizando 63%. Por outro lado, 27% da produção dessas áreas não estão disponíveis nos RIs e seu acesso está bloqueado exigindo pagamento. Apenas 10% dos artigos são via verde sinalizando, a grosso modo, uma baixa adesão à essa estratégia em relação à via dourada. Por outro lado, quando o foco da análise envolve as áreas estudadas fica evidente algumas particularidades. A área da Física possui porcentagem considerável de produção científica sob a via verde e demonstrou através desta amostragem ser uma área mais internacionalizada, com artigos publicados em títulos de periódicos internacionais, no idioma Inglês e disponíveis no Arxiv. A área de Psicologia destacou-se na via dourada, mostrando ser uma área mais regionalizada, com artigos em sua maioria publicados em periódicos nacionais, no idioma local e presentes em iniciativas como SciELO e Pepsi. Os resultados dessa pesquisa demonstram que a via verde está presente na área que é mais internacionalizada, tornando premente a necessidade de verificar em novas pesquisas se essas características estão presentes em outras áreas e instituições e se há outras características não contempladas neste estudo.

Referências:

Budapest Open Access Initiative. Iniciativa de Budapeste pelo Acesso Aberto. Budapeste, 2002. Disponível em: http://www.budapestopenaccessinitiative.org/translations/portuguese-translation. Acesso em: Jul 2015.

HARNAD, S., et al. The Access/Impact Problem and the Green and Gold Roads to Open Access. Serials Review, v. 30, n. 4, 2004.

ORTELLADO, Pablo. As políticas nacionais de acesso à informação científica. Liinc em Revista, v. 4, p. 1-10, 2008.


Para poder ver los trabajos, es necesario registrarse en la conferencia